Pensamento Oriental e o Desapego. A Música de Nando Reis. Por Luis Fernando Amstalden

Posted on 21 de abril de 2013 por

14



mantra imagem

No pensamento oriental é bastante comum encontrarmos a idéia da renúncia ao mundo material. O pressuposto é que a impermanência dos fenômenos físicos, a vida biológica inclusive, leva sempre o sofrimento. Assim, se nos apegamos a este mundo, ao dinheiro, ao poder e até à própria vida, tentando negar a nós mesmos que um dia envelheceremos e morreremos, então estamos destinados a sofrer de forma permanente.

Ao contrário, a maioria das religiões orientais acredita que somente aceitando o fato de que tudo está destinado a se perder, a se acabar e nos desapegando da busca pela permanência, é que poderemos encontrar a paz.

Existem, é claro, inúmeras variações desta idéia de desapego. Algumas vão ao extremo da prática da autoflagelação, como é o caso de algumas práticas dos hindus que veneram o deus Shiva, outras são mais sutis, com o cultivo de uma indiferença moderada à materialidade, como é o caso de algumas escolas taoístas. Mas, seja qual for a interpretação, mais radical ou mais moderada, o despego está lá, permeando os princípios mais elevados de boa parte das religiões orientais (algumas ocidentais também, mas isso é outro assunto).

Nando Reis, músico e poeta, captou bem o espírito do desapego nesta bela canção, “mantra”, que no videoclipe que indexo aqui, ele canta com membros do movimento Hare Krishna. É profundamente agradável a forma como ele torna a idéia poética. “Quando não tiver mais nada/nem chão, nem escada (a ausência total de bases e caminhos)/ Escudo ou espada (o desarmar-se totalmente de pontos de vista predeterminados)” O seu coração acordará. Você encontrará a verdade, a paz e a alegria.

“Quando estiver com tudo/ Lã, cetim, veludo (riqueza, luxo e poder)/ Espada e escudo (armado, apegado) / Sua consciência/ Adormecerá!…” Você perderá a noção do que é realmente importante, do que é a vida real, a do espírito e da liberdade.

Segundo a concepção budista, hinduísta e jainista, ao se apegar, ao não se desligar do mundo material, você volta a reencarnar neste mundo, na forma humana ou animal, prisioneiro de seus desejos. Nando coloca esta idéia no jogo de palavras: “E acordará no mesmo lugar/ Do ar até o arterial/No mesmo lar/ No mesmo quintal /Da alma ao corpo material…”

Por último, está idéia de que o desapego elimina a dor, o medo. Temos medo o tempo todo de perder o que temos, ou melhor, o que pensamos que temos. Se você refletir bem, verá que não temos nada, pelo menos nada permanentemente. Você tem uma casa? Tem dinheiro? Tem jóias? Roupas? Carros? Bem, sua vida é limitada, mais limitada do que a duração destes bens. Para onde eles vão quando você morrer? Para quem? Logo, estas coisas são realmente suas ou você detém sua posse provisoriamente? Aliás, não precisa nem morrer para perdê-las. Um mau  passo econômico ou uma crise social, e tudo irá embora. Via de regra, tememos isso. Vivemos no temor. Mas se nos libertamos do apego e percebemos que tudo é provisório e temos que aceitar esta transitoriedade, então o temor se vai, e, com ele, a dor…

Em tempo: os Hare Krishna acreditam que é preciso se desapegar e entregar sua confiança à misericórdia divina. Krishna é a encarnação do amor divino, do que protege todas as criaturas. Entregar-se a Ele, a Deus e seu amor, é a liberdade e a felicidade. A felicidade que os leva a dançar e cantar ao som do mantra “hare Krishna”.

Mantra

Quando não tiver mais nada
Nem chão, nem escada
Escudo ou espada
O seu coração
Acordará!…

Quando estiver com tudo
Lã, cetim, veludo
Espada e escudo
Sua consciência
Adormecerá!…

E acordará no mesmo lugar
Do ar até o arterial
No mesmo lar
No mesmo quintal
Da alma ao corpo material…

Hare Krishna Hare Krishna
Krishna Krishna
Hare Hare
Hare Rama
Hare Rama
Rama Rama
Hare Hare

Quando não se têm mais nada
Não se perde nada
Escudo ou espada
Pode ser o que se for
Livre do temor…

Hare Krishna Hare Krishna
Krishna Krishna
Hare Hare
Hare Rama
Hare Rama
Rama Rama
Hare Hare

Quando se acabou com tudo
Espada e escudo
Forma e conteúdo
Já então agora dá
Para dar amor…

Amor dará e receberá
Do ar, pulmão
Da lágrima, sal
Amor dará e receberá
Da luz, visão
Do tempo espiral…

Amor dará e receberá
Do braço, mão
Da boca, vogal
Amor dará e receberá
Da morte
O seu dia natal…

Aaadeeeus Dooooor…(4x)

Hare Krishna Hare Krishna
Krishna Krishna
Hare Hare
Hare Rama
Hare Rama
Rama Rama
Hare Hare (6x)

Posted in: Artigos, Vídeo