Movimento dos Sem-Partido. Por Maxx Zendag

Posted on 22 de junho de 2013 por

10



Marcelino

Vi na sexta-fera, em uma reportagem de TV, um manifestante de uma determinada cidade (não me recordo qual) que declarou que o protesto já tinha nome: Movimento dos Sem-Partido. Isso remete a uma questão que ganhou destaque na mobilização nacional desta semana.

Não digo que concordo com o uso da violência, como vimos, onde manifestantes expulsaram um bloco de partidários e o mesmo ocorreu com sindicalistas (CUT). Mas há de se convir que, considerando o contexto nacional, os problemas do país não podem e nem devem ser atribuídos a uma estrela. Por outro lado, é fácil entender que os brasileiros não podem permitir que qualquer partido político faça uso dos protestos para benefício próprio.

É dever de todos que seja dado um foco mais preciso a esse movimento. Fala-se, nas redes sociais, em impeachment da presidente, em Joaquim Barbosa como futuro candidato, e até em cancelar a Copa das Confederações e mais tarde a Mundial. E por isso convido a todos a uma reflexão.

Não me posiciono a favor da Dilma, e ainda não tenho certeza se confio nas palavras de seu discurso na noite de sexta-feira em Rede Nacional. Mas parece-me óbvio que, se ela fosse “derrubada” do poder, isso não solucionaria, nem de longe, os problemas no Brasil. Bem como não acredito que toda a sujeira esteja unicamente no partido de nossa ilustre presidente – embora os mais recentes escândalos de corrupção sejam atribuídos a ele. A quadrilha de políticos corruptos é grande, e embora se concentre naqueles belos prédios idealizados por Oscar Niemeyer, tem ramificações em todas as esferas de governo. Vou citar como exemplo a realidade de nós, piracicabanos.

Dezesseis vereadores de 9 diferentes partidos votaram a favor de um absurdo reajuste salarial de mais de 50%, resultando num modesto salário de R$10.900,00. Um desses nobres “representantes do povo”,  que por sinal não é Petista e nem tucano, já equiparou os manifestantes do Pula-Catraca a malfeitores e baderneiros.

Nosso prefeito, Gabriel Ferrato, de partido que se opõe ao da presidente, continua impassível em relação à possibilidade de revogar o aumento do passe de ônibus.

O governador Geraldo Alckmin, também tucano, já afirmou que cortará investimentos na capital paulista para compensar a redução na tarifa de transporte coletivo.

Só pra citar dois nomes que também são alvo da revolta brasileira, temos Marco Feliciano, do PSC, e Renan Calheiros, do PMDB.

 

O que concluo, com esses fatos, é que a corrupção e/ou a falta de compromisso com o povo brasileiro não tem uma cor. Não é vermelha, e tampouco azul-e-amarela. Que me perdoem os anti-petistas pelo infeliz trocadilho, mas bandido não tem estrela na testa.

Meu recado é em especial para o povo de Piracicaba. Como brasileiros, nós temos muitas causas pelas quais devemos lutar. Mas é preciso, antes de qualquer coisa, que batalhemos como piracicabanos. Temos um prefeito que já demonstrou total despreocupação com os anseios daqueles que o elegeram. Isso ficou evidente com a manobra usada pelo prefeito para que a reunião com os manifestantes do Pula-Catraca não acontecesse. Somente com a pressão popular, através do protesto na quinta-feira, ele admitiu a possibilidade de “avaliar” a redução. Isso coloca Piracicaba em uma situação bem abaixo da maioria das cidades brasileiras, onde houve protestos e a redução das tarifas já foi aprovada.

Sobre isso, quero manifestar publicamente a minha opinião: mesmo que o aumento na tarifa tenha sido determinado pelo prefeito anterior, o Sr. Ferrato teria uma obrigação moral de corrigir essa falha grave do ilustríssimo Sr. Barjas Negri, e revogar esse reajuste, em atendimento imediato à população, que somente o elegeu por influência da avaliação positiva do povo em relação à gestão de seu parinho político que, a exemplo do que fez Lula com Dilma, teve papel fundamental na decisão das eleições municipais. Detalhe importante: não irei questionar, aqui, a avaliação “positiva” do ex-prefeito.

E o problema não é só o salário dos vereadores e a tarifa de ônibus. Todas as semanas, os jornais da cidade repetem a mesma (má) notícia: prontos-socorros lotados, falta de médicos, mau atendimento, e outros serviços públicos de qualidade precária. Uma sugestão ao Reaja Piracicaba: mobilizar a formação de uma comissão para acompanhar melhor o Centro de Controle de Zoonoses, em especial as atividades do Canil Municipal e campanhas contra Raiva e Dengue. Há situações ali que merecem ser apuradas. Que as entidades de proteção aos animais e ex-funcionários do Combate à Dengue se manifestem caso eu esteja enganado.

Por último quero retomar os outros assuntos que pipocam nas redes sociais. Se me permitem opinar a respeito, é absurdo depositar as esperanças brasileiras em Joaquim Barbosa como futuro presidente, afinal ele é bom no que está fazendo a o país precisa dele lá. Por sinal, não me recordo de ter ouvido qualquer declaração dele, sobre as intenções de se candidatar.

E sobre as Copas, não questiono a autenticidade dos motivos que revoltam o povo (inclusive a mim), mas os estádios já estão aí, o valores astronômicos já foram investidos. O cancelamento desse evento, a essa altura, traria mais prejuízos que lucro ao Brasil. Quando havia apenas projetos, o povo não se levantou para reclamar. Resta a nós, agora, apenas lutar pela transparência dos investimentos para a Copa e Olimpíadas.

Finalizo com um apelo aos partidos políticos: o povo não precisa de vocês gritando e protestando com eles. O povo só precisa ser ouvido.

Maxx Zendag

É piracicabano, nascido há 30 anos, desenhista e fotógrafo amador, autor do livro “A Águia Dos Ventos: O Leão Do Mirante”. Trabalha atualmente como auxiliar administrativo, e ainda administra duas páginas no Facebook:

“É Uma Límgua Portugueza, Concertesa” www.facebook.com/limguaportugueza

“FORÇA Brasileira” www.facebook.com/forcabrasileira